sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

É hora da mudança ...

Comunico a todos os visitantes deste blog que visando uma estrutura mais moderna em termos de publicação de conteúdo online, este blog está de mudança. O endereço virtual é o mesmo, porém todo o conteúdo aqui disponível desde a criação deste blog foi reagrupado por temas e continuará neste mesma página, o que leva a perder alguns endereço para consultas e manutenção dos links existentes pela a web, mas também houve alterações e do material para novas páginas do site. Contamos com a colaboração de todos, atualizando o endereçamento, apontamentos e compartilhamentos pelas diversas rede sociais. Abraços a todos.
Professor Sinésio Gomes

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 11.56 - Partida e Reversão de motor com Inversor de Frequência

Figura 01 - IHM do Inversor de frequência
Um inversor de frequência nada mais é do que um equipamento eletrônico capaz de variar a velocidade de giro de motores elétricos trifásicos.
O nome “inversor de frequência” é dado pela sua forma de atuação, mas para entendermos melhor isso, precisamos saber como funciona um motor trifásico.
Motor elétrico de indução trifásico:
O funcionamento de um motor elétrico de indução trifásico, embora altamente eficiente, é muito simples. Ele apenas “imita” a frequência da rede onde está ligado. A frequência da rede de corrente alternada é a quantidade de vezes que ela alterna por segundo e é através da unidade Hertz (Hz), ou seja, uma rede de 60Hz alterna 60 vezes em um segundo. Essa tensão oscilante passa pelas bobinas do motor e forma um campo giratório e o motor tende a segui-lo, então, quanto mais alta for a frequência, mais rápido será esse campo e mais rápido o motor tenderá a girar.
O inversor de frequência tem como principal função alterar a frequência da rede que alimenta o motor, fazendo com que o motor siga frequências diferentes das fornecidas pela rede, que é sempre constante. Desta forma podemos facilmente alterar a velocidade de rotação do motor de modo muito eficiente.
O uso de inversores de frequência é responsável por uma série de vantagens, dependendo dos modelos oferecidos pelos fabricantes, são unidas a capacidade de variar a velocidade com controles especiais já implantados no equipamento. Esses controles proporcionam além da total flexibilidade de controle de velocidade sem grande perda de torque do motor, aceleração suave através de programação, frenagem direta no motor sem a necessidade de freios mecânicos além de diversas formas de controles preferenciais e controles externos que podem ser até por meio de redes de comunicação. Tudo isso com excelente precisão de movimentos.
Figura 02 - Diagrama elétrico da Partida de motor
com Inversor de frequência CFW08
Além destas vantagens, os inversores ainda possuem excelente custo-benefício, pois proporcionam economia de energia elétrica, maior durabilidade de engrenagens, polias e outras transmissões mecânicas por acelerar suavemente a velocidade.
A possibilidade de eliminar reduções mecânicas do projeto também é possível, assim mais economia será possível.
Parâmetrização do Inversor de frequência
Um parâmetro do inversor de freqüência é um valor de leitura ou escrita, através do qual o usuário pode ler ou programar valores que mostrem, sintonizem ou adeqüem o comportamento do inversor e motor em uma determinada aplicação. Exemplos simples de parâmetros: Parâmetro de Leitura P003: Corrente consumida pelo motor; Parâmetro Programável P121: Velocidade de giro do motor, quando comandado pelo teclado (referência de velocidade, valor de freqüência) .

Quase todos os inversores disponíveis no mercado possuem parâmetros programáveis similares. Estes parâmetros são acessíveis através de uma interface composta por um mostrador digital (“display”) e um teclado, chamado de Interface Homem-Máquina (IHM), ver figura 1.
Para esta aplicação iremos parametrizar:
P000 = 5 - Parâmetro de Acesso. Libera o acesso para alteração do conteúdo dos parâmetros. O valor da senha é 5. O uso de senha está sempre ativo.
P204 = 5 - Carrega Parâmetros com Padrão de Fábrica. Reprograma todos os parâmetros para os valores do padrão de fábrica. Para isso, programe P204 = 5. Os parâmetros P142 (tensão de saída máxima), P145 (freqüência nominal),P295 (corrente nominal),P308 (endereço do inversor) e P399 a P407 (parâmetros do motor) não são alterados quando é realizada a carga dos ajustes de fábrica através de P204 = 5.
P000 = 5 - Parâmetro de AcessoLibera o acesso para alteração do conteúdo dos parâmetros. 
Com as alterações acima o inversor de frequência está pronto para ser configurado, as entradas digitais estão habilitadas na funções remoto com as seguintes funções:
DI1 = Habilita Geral.
DI2 = Sentido de Giro.
DI3 = Reset de falha.
DI4 = Gira / Para.
Para esta aplicação também iremos parametrizar:
P100 = 12s - Rampa AceleraçãoEste parâmetro define o tempo para acelerar linearmente de 0 até a freqüência nominal.
P101 = 8s - Rampa DesaceleraçãoEste parâmetro define o tempo para desacelerar linearmente da freqüência nominal até 0.
P202 = 2 - Inversor Vetorial. Define o modo de controle do inversor. O controle vetorial permite um melhor desempenho em termos de torque e regulação de velocidade. O controle vetorial do CFW-08 opera sem sensor de velocidade no motor (sensorless). Deve ser utilizado quando for necessário: uma melhor dinâmica (acelerações e paradas rápidas); quando necessária uma maior precisão no controle de velocidade; operar com torques elevados em baixa rotação ( < 5Hz).
Exemplos: acionamentos que exijam posicionamento como movimentação de cargas, máquinas de empacotamento, bombas dosadoras, etc.
P220 = 0 - Seleção da Referência de velocidadeDefine quem faz a seleção da Referência de velocidade - Situação Local.  0 - Sempre situação local. 
P221 = 0 - Velocidade local através das Teclas < e > da IHM. Seleção da Referência de velocidade – Situação Local. 
P222 = 0 - Velocidade Remoto através de AI1Seleção da Referência de velocidade – Situação Remoto. 
P229 = 2 - Comando IHM e Bornes. Definem a origem dos comandos de habilitação e desabilitação do inversor, sentido de giro e JOG.
Os parâmetros do motor é definido através dos dados obtidos na placa do motor.
P399 = 50 - 99 Rendimento Motor
P400 = 220 Vac Tensão do Motor
P401 - Corrente do motor – 2,04 A
P402 - Rotação do motor – 1680 RPM .
P403 = 60 Hz - Frequência.
P404 = 5 - 1 CV - Potência Mecãnica.
P407 =0,5 a 0,9 Fator potencia.
P408 = Auto ajuste resistência rotórica.

Diagrama elétrico de Partida de Motor com Inversor disponível em : 16_04_30 Inversor CFW08 


© Direitos de autor. 2015: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 22/02/2015


quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 10.55 - Partida de 03 motores com uma Soft-Starter

As chaves de partida suave oferecem uma alternativa para a partida estrela-triângulo e conversores de freqüência. As principais vantagens são a partida suave e a parada suave, comutação sem interrupção e sem picos de carga de corrente na rede e as pequenas dimensões. Muitos acionamentos, que até hoje somente podiam ser operados com conversores de freqüência, podem ser mudados para a operação de partida suave, desde que nenhum ajuste de velocidade ou um torque de partida especialmente elevado, ou partida com corrente próxima à corrente nominal se torne necessária.
Partindo Vários Motores em Seqüência ou Cascata

Figura 01 - Esquemas de ligação para
Partida de 03
 motores com Soft_Starter
Para  este  tipo  de  partida  a  potência  da  soft  –  starter  deve  ser  no  mínimo  igual  à  potência nominal do maior dos motores. Não havendo pausa entre as partidas dos motores deve-se especificar a  capacidade  da  soft  - starter  em  base  ao  resultado da  corrente  eficaz.  O  ajuste  de  parâmetros  para diferentes   capacidade   dos   motores   e/ou   cargas   pode ser   realizado   através   do   software   de comunicação  da  soft  -  starter.  Permite-se  a  entrada  de  até  três  diferentes  jogos  de  parâmetros.  A partida seqüenciada pode atender motores de pólos comutáveis em suas diferentes rotações.

Diagrama elétrico de Partida Suave de 3 Motores com Soft Starter: 16_04_64_Partida_Suave_3_Motores  .

© Direitos de autor. 2015: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 22/02/2015

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 10.54 - Partida de 02 motores com uma Soft-Starter

As chaves de partida suave oferecem uma alternativa para a partida estrela-triângulo e conversores de freqüência. As principais vantagens são a partida suave e a parada suave, comutação sem interrupção e sem picos de carga de corrente na rede e as pequenas dimensões. Muitos acionamentos, que até hoje somente podiam ser operados com conversores de freqüência, podem ser mudados para a operação de partida suave, desde que nenhum ajuste de velocidade ou um torque de partida especialmente elevado, ou partida com corrente próxima à corrente nominal se torne necessária.
Figura 01 - Esquemas de ligação para
Partida de 02
 motores com Soft_Starter
Partindo Vários Motores em Seqüência ou Cascata
Para  este  tipo  de  partida  a  potência  da  soft  –  starter  deve  ser  no  mínimo  igual  à  potência nominal do maior dos motores. Não havendo pausa entre as partidas dos motores deve-se especificar a  capacidade  da  soft  - starter  em  base  ao  resultado da  corrente  eficaz.  O  ajuste  de  parâmetros  para diferentes   capacidade   dos   motores   e/ou   cargas   pode ser   realizado   através   do   software   de comunicação  da  soft  -  starter.  Permite-se  a  entrada  de  até  três  diferentes  jogos  de  parâmetros.  A partida sequenciada pode atender motores de pólos comutáveis em suas diferentes rotações.

Diagrama elétrico de Partida Suave de 2 Motores com Soft Starter: 17_11_64_Partida_Suave_2_Motores  .

© Direitos de autor. 2017: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 22/11/2017

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 10.53 - Partida e Reversão de motor com Soft-Starter

Figura 01 - Rampas de aceleração
Soft-starters são chaves de partida estática, projetadas para a aceleração, desaceleração e proteção de motores elétricos de indução trifásicos, através do controle da tensão aplicada ao motor. O controle em duas fases apresenta uma assimetria de corrente durante a partida, que limita a SSW08 a aplicações consideradas leves ou moderadas. Os modelos são compactos, contribuem para a otimização de espaços em painéis elétricos e possuem todas as proteções para o motor elétrico, adaptando-se as necessidades das aplicações através de acessórios opcionais, que podem ser facilmente instalados nas SSW.
Programação através de trimpot e dip switch toda a programação necessária para acionar qualquer tipo de carga. 
Rampa de Tensão: Permite a aceleração e/ou desaceleração suave, através de rampas de tensão. 
Limitação de Corrente: Permite ajustar o limite de corrente durante a partida, de acordo com as necessidades da aplicação. 
Figura 01 - Esquemas de ligação para Partida e
Reversão de motor com Soft_Starter.

Kick Start em Tensão: Permite um pulso inicial de tensão, que aplicado ao motor proporciona um reforço de torque inicial a partida, necessária para a partida de cargas com elevado atrito estático. 
Bypass Incorporado: Disponível SSW08, o bypass incorporado minimiza as perdas de potência e a dissipação de calor nos tiristores, proporcionando redução de espaço e contribuindo para economia de energia. 

Diagrama elétrico de Partida e Reversão Suave de Motor com Soft Starter está disponível em: 17_11_30 Partida e Reversão Suave SSW05 .

© Direitos de autor. 2017: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 26/11/2017

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 10.52 - Partida de motor com Soft-Starter em 24Vcc

A chave de partida suave possui em cada uma das fases dois tiristores ligados em antiparalelo. Isto significa um tiristor para o semi-ciclo positivo e um
tiristor para o semi-ciclo negativo.
Figura 01 - Esquemas de ligação para Partida de
de motor com Soft_Starter.
Através do controle do ângulo de fase, o valor eficaz da tensão do motor é aumentado a partir de uma tensão inicial ajustável ou um torque também
ajustável através de diferentes procedimentos de controle sobre a tensão nominal do motor, dentro de um tempo de partida selecionável.
A corrente do motor mantém-se proporcional à tensão aplicada no motor. Com isto, a corrente de partida é reduzida pelo fator da tensão aplicada no motor.

O torque mantém-se ao quadrado da tensão aplicada no motor. Com isto, o torque de partida é reduzido na relação quadrada à tensão aplicada no motor.
A programação é realizada através de trimpot e dip switch toda a programação necessária para acionar qualquer tipo de carga. 
Rampa de Tensão: Permite a aceleração e/ou desaceleração suave, através de rampas de tensão. 
Limitação de Corrente: Permite ajustar o limite de corrente durante a partida, de acordo com as necessidades da aplicação. 
Kick Start em Tensão: Permite um pulso inicial de tensão, que aplicado ao motor proporciona um reforço de torque inicial a partida, necessária para a partida de cargas com elevado atrito estático. 
Bypass Incorporado: Minimiza as perdas de potência e a dissipação de calor nos tiristores, proporcionando redução de espaço e contribuindo para economia de energia. 

Diagrama elétrico de Partida Suave de Motor com Soft Starter disponível em:  17_11_52 Partida Suave SSW05 - 24v ;

© Direitos de autor. 2017: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 22/11/2017

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 10.51 - Partida de motor com Soft-Starter

Figura 01 - Rampas de 
Soft-starters são chaves de partida estática, projetadas para a aceleração, desaceleração e proteção de motores elétricos de indução trifásicos, através do controle da tensão aplicada ao motor. O controle em duas fases apresenta uma assimetria de corrente durante a partida, que limita a SSW08 a aplicações consideradas leves ou moderadas. Os modelos são compactos, contribuem para a otimização de espaços em painéis elétricos e possuem todas as proteções para o motor elétrico, adaptando-se as necessidades das aplicações através de acessórios opcionais, que podem ser facilmente instalados nas SSW.
Programação através de trimpot e dip switch toda a programação necessária para acionar qualquer tipo de carga. 
Rampa de Tensão: Permite a aceleração e/ou desaceleração suave, através de rampas de tensão. 
Limitação de Corrente: Permite ajustar o limite de corrente durante a partida, de acordo com as necessidades da aplicação. 
Figura 01 - Esquemas de ligação para Partida de
de motor com Soft_Starter.
Kick Start em Tensão: Permite um pulso inicial de tensão, que aplicado ao motor proporciona um reforço de torque inicial a partida, necessária para a partida de cargas com elevado atrito estático. 
Bypass Incorporado: Disponível SSW08, o bypass incorporado minimiza as perdas de potência e a dissipação de calor nos tiristores, proporcionando redução de espaço e contribuindo para economia de energia. 

Diagrama elétrico de Partida Suave de Motor com Soft Starter disponível em: 16_04_29 Partida Suave SSW05 .

© Direitos de autor. 2015: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 22/02/2015

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 7.29 - Partida e Reversão com aceleração de Motor de Corrente Contínua Compound


Figura 01 - Bobinas Motor CC
Os motores de corrente contínua surgiram como uma forma de solucionar os problemas onde há a necessidade de controle e variação de velocidade e torque em máquinas elétricas acionantes, pois sua velocidade pode ser continuamente alterada mediante a variação da tensão de alimentação. Além disso, os motores CC apresentam torque constante em toda a faixa de velocidade. O motor de corrente contínua é constituído de: Estator e Rotor. 
O enrolamento do rotor denomina-se armadura cujas bobinas com terminais A1 e A2 serão alimentadas através das escovas e comutador e produzirão o campo magnético que irá reagir com o campo magnético do estator, criando torque e movimento, e geralmente é constituído por fios de seção maior.
Figura 02 - Esquemas de ligação para Partida e Reversão
de motor de corrente contínua compound.
O estator é formado por um ou mais enrolamentos. O enrolamento Shunt do estator com terminais F1 e F2 é formado por muitas espiras de fio de menor seção. O enrolamento Série do estator com terminais S1 e S2 é formado por poucas espiras de fio de seção maior. O enrolamento do estator é denominado enrolamento de campo ou enrolamento de excitação.
O enrolamento série pode conter um ou mais pólos, os pólos do estator são sempre salientes, de chapa de ferro silício. O estator pode abrigar 2, 4, 6 ou mais pólos, que vão interferir na velocidade máxima do motor.
Devemos considerar que, no momento da partida de motores de corrente contínua, o valor da intensidade de corrente pode ser muito grandes principalmente em motores potentes. Estes valores podem causar efeitos adversos tais como: aquecimento excessivo dos condutores dos enrolamentos do motor, o que poderia queimar e quedas de tensão nas linhas de energia.
Para limitar o valor da intensidade de corrente no momento da partida do motor é necessário a utilização de reostatos. Esta resistência devem ser eliminadas gradualmente à medida que o motor atinge velocidade nominal.

Diagrama elétrico de Partida e Reversão de Motor de Corrente Contínua Compound disponível em:  17_11_27_Reversão_Motor_CC_Compound ;

© Direitos de autor. 2017: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 06/11/2017

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 7.28 - Partida e aceleração de Motor de Corrente Contínua Compound


Figura 01 - Bobinas Motor CC
Os motores de corrente contínua surgiram como uma forma de solucionar os problemas onde há a necessidade de controle e variação de velocidade e torque em máquinas elétricas acionantes, pois sua velocidade pode ser continuamente alterada mediante a variação da tensão de alimentação. Além disso, os motores CC apresentam torque constante em toda a faixa de velocidade. O motor de corrente contínua é constituído de: Estator e Rotor. 
O enrolamento do rotor denomina-se armadura cujas bobinas com terminais 1 e 2 serão alimentadas através das escovas e comutador e produzirão o campo magnético que irá reagir com o campo magnético do estator, criando torque e movimento, e geralmente é constituído por fios de seção maior.
Figura 02 - Esquemas de ligação para Partida 
de motor de corrente contínua compound.
O estator é formado por um ou mais enrolamentos. O enrolamento Shunt do estator com terminais 5 e 6 é formado por muitas espiras de fio de menor seção. O enrolamento Série do estator com terminais 3 e 4 é formado por poucas espiras de fio de seção maior. O enrolamento do estator é denominado enrolamento de campo ou enrolamento de excitação.
O enrolamento série pode conter um ou mais pólos, os pólos do estator são sempre salientes, de chapa de ferro silício. O estator pode abrigar 2, 4, 6 ou mais pólos, que vão interferir na velocidade máxima do motor.
Devemos considerar que, no momento da partida de motores de corrente contínua, o valor da intensidade de corrente pode ser muito grandes principalmente em motores potentes. Estes valores podem causar efeitos adversos tais como: aquecimento excessivo dos condutores dos enrolamentos do motor, o que poderia queimar e quedas de tensão nas linhas de energia.
Para limitar o valor da intensidade de corrente no momento da partida do motor é necessário a utilização de reostatos. Esta resistência devem ser eliminadas gradualmente à medida que o motor atinge velocidade nominal.

Diagrama elétrico de Partida de Motor de Corrente Contínua Compound disponível em:  16_04_26_Partida_Motor_Compold_CC ;

© Direitos de autor. 2015: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 22/02/2015

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Comandos Elétricos - Aula 6.27 - Partida e Reversão Estrela Série - Paralelo de Motor de indução de 12 pontas


Neste caso, o motor de indução de doze pontas parte e reverte com tensão reduzida em suas bobinas. A chave série-paralelo proporciona uma redução de corrente para 25% do seu valor para partida direta.
Figura 01 - Esquemas de ligação 
para Partida e Reversão Estrela - Série Paralelo
É apropriada para cargas com partida necessariamente em vazio, pois o conjugado de partida fica reduzido a 1/4 de seu valor de tensão nominal (partida direta). Este tipo de chave é utilizado para motores de 4 tensões (220/380/440/760V) e no mínimo 9 terminais acessíveis.
Figura 01 - Esquemas de ligação para partida série paralelo – estrela temporizada a contactor, a) circuito de força e b) circuito de comando.

Partida e Reversão Estrela Série-Paralelo
Chave de partida própria para motores com a execução dos enrolamentos em 220/380/440/660V ou 380/760V. A tensão da rede deve ser necessariamente 380V.
Na partida executa-se a ligação estrela série (apto a receber 760V) e aplica-se a tensão de estrele paralelo (380V). Após a partida, quando o motor alcançar aproximadamente 90% da rotação nominal, comuta-se a ligação para triângulo paralelo assim as bobinas passam a receber tensão nominal (380V).
A corrente de partida fica reduzida em quatro vezes, e o mesmo acontece com o conjugado e a potência. Assim, é extremamente recomendado fazer a partida a vazio e somente em máquinas com baixo conjugado resistente de partida.
No momento da partida ligarão os contatores K1 e K3 (fechamento em estrela série) no diagrama de comando, T1 contará um tempo e depois acionarão os contatores K1, K2 e K4 (fechamento em estrela paralelo).
Diagrama elétrico de Partida e Reversão Estrela // Dupla Estrela de Motor de Indução Trifásico de 12 Terminais está disponível em:  17_11_19 Partida e reversão Estrela // Dupla Estrela.
© Direitos de autor. 2016: Gomes; Sinésio Raimundo. Última atualização: 02/11/2017